logo
GALATEA
(5.5K)
FREE – on the App Store

O romance mais explosivo desde Cinquenta Tons de Cinza

Os lobisomens do romance Werewolf smash-hit, Os Lobos do Milênio abrange mais de 7 livros e já foi lido mais de 125 milhões de vezes no aplicativo Galatea. O aplicativo recebeu reconhecimento da BBC, Forbes e The Guardian com Forbes dizendo “Os Lobos do Milênio [na Galatea] está vendendo mais rápido que Harry Potter”.

Ali Albazaz, Founder and CEO of Inkitt, on BBC The Five-Month-Old Storytelling App Galatea Is Already A Multimillion-Dollar Business Paulo Coelho tells readers: buy my book after you've read it – if you liked it

Siga Sienna como um lobisomem de dezenove anos de idade com um segredo: ela é a única virgem na matilha. Ela está decidida a passar pela Haze deste ano sem ceder aos seus impulsos primordiais – mas quando conhece Aiden, o alfa, ela esquece tudo sobre seu autocontrole. Ela não vai ceder sem lutar – mesmo que seu corpo a suplique.

Continue rolando para ler os dois primeiros capítulos de Os Lobos do Milênio completamente grátis ou baixe o aplicativo para ler a série inteira >>

Tudo o que eu via era sexo.

Para onde quer que eu me virasse, via corpos tremendo.

Membros se deslocando. Bocas gemendo.

Corri através de uma floresta, ofegante, tentando escapar dos fantasmas carnais ao meu redor, que pareciam estar me convocando. Dizendo, junte-se a nós…

Mas quanto mais para dentro da floresta eu corria, mais escura e mais viva ela se tornava.

Algumas árvores balançam como amantes. Outras, com raízes nodosas e galhos espigados, pareciam predadores. Prendendo-me. Perseguindo-me.

Algo lá fora, no escuro, estava me perseguindo. Alguma coisa desumana.

E agora as bocas não estavam gemendo. Elas estavam gritando.

Orgias grotescas por toda parte iam se tornando violentas. Sangrentas. Próximas da morte.

A qualquer momento, a escuridão iria me pegar.

O sexo ia me estrangular.

Ao sentir uma raiz enrolar em minha perna, tropecei e caí em um buraco aberto no centro da floresta. Mas não era um buraco.

Era uma boca. Com dentes afiados e uma língua preta, lambendo seus lábios, prestes a me engolir inteira.

Eu tentei gritar, mas não tinha voz.

Eu caí.

Mais longe.

Mais fundo.

Até que eu me fundi com a loucura violenta e sexual… completamente consumida.

***

Hesitei. Que diabos eu estava desenhando?

Sentada à beira do rio, livro de esboços na mão, olhei para baixo, incrédula, para o meu próprio trabalho. Tinha desenhado uma visão muito perturbadora… e sexual.

Isso só poderia significar uma coisa: A Bruma estava chegando.

Mas antes de pensar na Bruma ou de desenhar outra coisa, o som de risadas próximas me distraiu. Virei-me para ver um grupo de meninas, ao seu redor.

Aiden Norwood.

Eu nunca o tinha visto aqui antes. Não na margem do rio onde eu vou para desenhar e me distrair. Não há muitos de nós por aqui..

Por quê? Eu não sei.

Talvez seja a calma quando sempre se espera de nós que sejamos selvagens. Talvez seja a água quando cada um de nós arde com um incêndio interno. Ou talvez seja apenas um lugar que eu só tenha pensado como meu.

Um lugar secreto onde eu não sou só mais uma na matilha. Onde sou apenas eu, Sienna Mercer, uma artista autodidata ruiva de dezenove anos. Uma garota aparentemente normal.

O Alfa caminhou em direção à água, ignorando o bando de moças que o seguiam. Ele parecia que queria ser deixado sozinho. Isso me deixou curiosa. Fez-me querer atraí-lo.

Claro, eu sabia que era um risco desenhar o Alfa. Mas como eu poderia resistir?

Comecei a esboçá-lo. Com uma altura de 1,80 m, cabelo preto desgrenhado e olhos verde-ouro que pareciam mudar de cor cada vez que ele virava a cabeça, Aiden era a definição de lindo de dar água na boca.

Eu tinha começado a trabalhar nos olhos quando ele virou a cabeça e farejou.

Eu congelei, fiquei paralisada. Se ele me visse agora, se ele visse o que eu estava desenhando…

Mas então, para meu alívio, ele olhou para a água, perdendo-se novamente em algum devaneio escuro. Mesmo rodeado por outros, o Alfa estava sozinho. Então eu o desenhei sozinho.

Eu sempre o observava de longe. Eu nunca tinha estado tão perto. Mas agora eu podia ver como os bíceps dele saltavam de sua sua camisa, como sua coluna vertebral se curvava para acomodar sua transformação.

Me perguntei o quão rapidamente ele poderia de transformar. Dobrado, com os olhos em busca como os de um animal selvagem, ele parecia, neste caso, já na metade do caminho.

Um homem, sim. Mas mais que isso; um lobisomem.

Sua beleza me lembrou que a Bruma estava se aproximando rapidamente. Era a época do ano em que todo lobisomem a partir dos dezesseis anos de idade enlouquece com a luxúria, a estação em que todos – e quero dizer todos trepam como loucos.

Uma ou duas vezes por ano, esta fome imprevisível, esta necessidade física nos infecta a todos até o osso…

Aqueles que não tinham companheiros encontram um parceiro temporário e para brincarem uns com os outros.

Em outras palavras, não havia ninguém na matilha com mais de dezesseis anos que fosse virgem.

Olhando agora para Aiden, eu me perguntava se os rumores que giravam em torno dele eram verdadeiros.

Se por acaso era por isso que ele estava ali, ignorando as garotas, refletindo à beira do rio.

Alguns disseram que haviam passado meses desde que Aiden havia levado qualquer mulher para a cama, que ele estava se distanciando de todos.

Por quê? Uma companheira secreta? Não, as fofoqueiras da matilha já teriam descoberto.

Então, qual era o problema? O que seria do nosso amado Alfa se ele não tivesse nenhuma parceira quando a Bruma atacasse?

Não é da sua conta, eu mesma me repreendi. O que importava para mim quem Aiden comia?

Ele era dez anos mais velho e, como a maioria dos lobisomens, só estava interessado em alguém de sua própria idade.

Para Aiden Norwood, o Alfa da segunda maior matilha dos Estados Unidos, eu não existia. Colocando de lado minha paixonite de adolescente boba, resolvi seguir sem pensar no assunto.

Michelle, minha melhor amiga, estava decidida a me encontrar um pau amigo. Ela já tinha um par, coisa comum entre os lobos solteiros antes da Bruma.

Tentando me arranjar com três amigos de seu irmão, todos que pareciam perfeitamente decentes e que tinham sido diretos em me considerar boa para uma transa, Michelle não conseguia entender porque eu tinha recusado cada um deles.

“Ugh.” Quase consegui ouvir a voz de Michelle reverberando em minha cabeça.

“Por que você é sempre tão fresca, garota?”

Porque a verdade era que eu tinha um segredo.

Aos dezenove anos de idade, eu era a única loba virgem em toda a nossa matilha. Tinha passado por três estações e, por mais sedenta por sexo que ficasse, nunca havia cedido aos meus desejos carnais.

Eu sei. Muito pouco inteligente da minha parte em se preocupar com “sentimentos” e “primeiras vezes”, mas eu prezava os meus.

Não era que eu fosse uma puritana. Em nossa sociedade, não havia tal coisa. Mas, ao contrário da maioria das meninas, eu me recusava a me entregar até encontrar meu companheiro.

Eu sabia que ia encontrá-lo.

Eu estava guardando minha virgindade para ele.

Quem quer que fosse.

Continuei a esboçar o Alfa quando olhei para cima e vi, para minha surpresa e pavor repentino, que ele não estava lá.

“Nada mal.” Eu ouvi uma voz baixa ao meu lado. “Mas os olhos podiam estar um pouco melhores.”

Virei-me para ver, parado bem ao meu lado, olhando para o meu esboço.

Aiden.

Norwood.

Porra.

Antes que eu pudesse recuperar meu fôlego, ele olhou para cima e nossos olhos se encontraram. Eu arfei, muito ciente que estava fazendo contato visual direto, e imediatamente olhei para o lado.

Ninguém em seu perfeito juízo se atreve a olhar um Alfa nos olhos.

Isso só poderia significar uma de duas coisas: Você estava desafiando o domínio do Alfa- – praticamente uma tentativa de suicídio. Ou, você estava convidando o Alfa para o sexo.

Como eu também não tinha essa intençãominha única opção era desviar o olhar antes que fosse tarde demais e rezar para que ele não interpretasse mal o significado do encontro.

“Perdoe-me,” eu disse calmamente, só para garantir. “Você me pegou de surpresa”.

“Peço desculpas,” disse ele. “Eu não quis te assustar.”

Essa voz. Mesmo dizendo as palavras mais educadas que se possa imaginar, elas soavam carregadas de ameaça. Como se a qualquer segundo, ele pudesse cortar sua garganta mesmo com os dentes em forma humana “Tudo bem. Mesmo,” ele disse. “Eu não mordo…. Só de vez em quando.” Eu estava tão perto que pude alcançar e tocar seus músculos ondulantes e sua pele dourada. Levantei os olhos e pisquei.

Um rosto brutal, recortado, que não deveria ser bonito, mas era. Sobrancelhas grossas que pareciam ásperas ao toque, como uma pitada de sua forma de lobisomem.

E um nariz, ainda que ligeiramente torto – sem dúvida quebrado em alguma luta passada – não maculava em nada seu sex appeal de tirar o folego.

O Alfa deu um passo mais próximo como se fosse para me testar. Eu podia sentir cada pêlo em meu corpo se ericar com o nervosismo. Ou… será que era desejo?

“Da próxima vez que você me desenhar” disse Aiden, “chegue mais perto.”

“Oh…ok” eu balbuciei como uma idiota.

E então, tão rapidamente quanto apareceu, Aiden Norwood se virou e sumiu, deixando-me junto ao rio, sozinha. Eu suspirei, sentindo cada músculo do meu corpo se acalmar.

Não era nada comum ver o Alfa fora da Casa da Matilha, a sede de todos os negócios dos grupos. Na maioria das vezes, nós vimos o Alfa em reuniões ou bailes. Sempre algo formal.

O que tinha acontecido hoje era raro.

Eu já podia ver, pelo olhar invejoso das fãs adoradores de Aiden que o haviam seguido até o rio, apenas para serem ignoradas, que isto poderia rapidamente sair de controle.

Até mesmo o cheiro de interação com um Alfa, especialmente para uma jovem plebeia como eu, seria suficiente para mandar as lobinhas mais histéricas à loucura , derrubando as paredes da Casa da Matilha só por mais um gostinho dele.

Um evento dessa magnitude certamente irritaria o Alfa. E um alfa estressado significava um alfa disfuncional, o que significa uma alcateia desfuncional …deu pra entender.

Não ia ser bom para ninguém.

Decidi, com a pouca luz que restava do dia, que terminaria de desenhar para me distrair. Só eu e o rio – em paz.

Mas tudo o que pude ver foram os olhos de Aiden Norwood.

E como eu os tinha desenhado muito mal. O Alfa estava certo. Eu poderia fazer melhor.

Se eu pudesse chegar mais perto…mais perto. Mas quando eu poderia estar tão perto outra vez?

Eu não sabia então o que sei agora. Que dentro de algumas horas a Bruma estava prestes a começar.

Que eu estava prestes a me tornar um animal varado por sexo. E que Aiden Norwood, o Alfa da Matilha da Costa Leste, iria desempenhar um papel muito proeminente no meu despertar sexual.

Só a ideia era o bastante para fazer qualquer uma uivar.

Baixe agora a Galatea em sua loja de aplicativos e perca-se completamente na viagem de Sienna.

Resenhas de leitores

Estou tão absorvido por estes livros... adeus Netflix 😊

Shannan Penisione, 9th Abril

Grupo Facebook

Honestamente, eu acho este aplicativo excelente. Eu o uso praticamente todos os dias e amo-o. 👌🏻❤️

Steffie Cliff, 27th Março

Revisão da App Store

Eu amo este aplicativo. Os livros são incríveis e eu estou sempre animado para ler mais!

Virgo Rose, 25th Março

Revisão da App Store

Eu realmente não consigo me fartar deste aplicativo. Eu passo a maior parte do meu tempo lendo, mesmo no trabalho. Eu só preciso provar um pouco de um capítulo. Os autores dos livros são gênios, eu sou muito grato por seus esforços. 💜

Kimberley Mills, 24th Março

Grupo Facebook